terça-feira, outubro 19, 2021

As 10 espécies mais surpreendentes do mundo

Uma aranha que lembra o chapéu de um mago em ‘Harry Potter’, um gafanhoto rosa brilhante, uma planta que parece sangrar, um verme em forma de churro Son são algumas das dez espécies mais surpreendentes descobertas em 2016. Escolhidos por uma equipe internacional de cientistas, seu objetivo é chamar a atenção para as maravilhas do planeta e os riscos que a biodiversidade corre. Este artigo descreve o top 10 das novas espécies e explica para que serve esta lista que inclui desde a formiga espinhosa e uma centopéia anfíbia até o verme churro.

  • 1. A aranha de Harry Potter
    A Eriovixia gryffindori (foto de abertura do artigo) é uma aranha com menos de dois milímetros de comprimento que deve seu nome ao chapéu do mago Gryffindor, um dos personagens de ‘Harry Potter’. Qualquer seguidor da saga de J. K. Rowling poderia pensar o mesmo ao fixar-se em sua forma e cores, que lhe servem para camuflar-se na lata. Esta espécie habita as florestas Ghats da Índia, onde constrói redes verticais em forma de esfera.

2. O gafanhoto rosa brilhante

A fêmea do gafanhoto eulophophyllum kirki ostenta uma cor rosa brilhante que o distingue do que os machos têm, completamente verdes. Descoberta em Bornéu por acaso enquanto os pesquisadores que a divulgaram procuravam tarântulas e cobras, ela mede cerca de quatro centímetros e seu corpo e patas parecem folhas que servem para mimetizar entre a folhagem.

3. O rato que come de tudo
O pequeno rato Gracilimus radix é o único entre seus parentes, estritamente carnívoros, de dieta onívora. De cor cinza-marrom, com orelhas arredondadas e uma cauda com pouco cabelo, é aparentada com os ratos de água da ilha indonésia de Célebes e inclui raízes em sua alimentação, daí seu nome científico.

4. O milípede com cada vez mais pés
O illacme tobini tem 414 pés, mas acrescenta segmentos de corpo, com as patas correspondentes, ao longo de sua vida. Encontrado no Parque Nacional Sequoia (EUA), pertence a uma antiga linhagem de 200 milhões de anos atrás. Ele mede cerca de dois centímetros de comprimento, não tem olhos e segrega um produto químico desconhecido para se defender.

5. A formiga espinhosa
A pheidole drogon figura como uma das duas espécies de formigas espinhosas localizadas na Papua Nova Guiné. Os cientistas descobriram que algumas de suas espinhas servem de ancoragem para os músculos encarregados de segurar suas cabeças e mandíbulas.

6. A raia gigante
O Potamotrygon rex é uma grande faixa de água doce endêmica do rio brasileiro Tocantins, de cor marrom-escura e com manchas amarelas e laranja. Um exemplar médio pode medir mais de um metro de comprimento e pesar 20 quilos.

7. A centopeia anfíbio
Scolopendra cataracta é chamado de maior centopéia conhecida, com 20 centímetros de comprimento e 20 pares de pernas. De cor preta, é a primeira espécie de centopéia observada capaz de correr pelo fundo da água como em terra firme. Descoberto no Laos, sua população está em perigo pelo aumento do turismo.

8. A planta que sangra
Ao cortar os frutos maduros do arbusto australiano Solanum ossicruentum parecem sangrar, daí seu nome científico (osso sangrento). A espécie era conhecida há 50 anos, mas foi erroneamente considerada uma variação da espécie S. Dioicum.

9. A orquídea diabo
A estrutura reprodutiva da nova espécie de orquídea telipogon diabolicus deriva da fusão da flor masculina e feminina. Sua aparência lembra as representações da cabeça do diabo. A espécie é conhecida apenas no sul da Colômbia e é considerada criticamente ameaçada.

10. O verme churro
O Xenoturbella churro é um verme Marinho de 10 centímetros de comprimento descoberto no Golfo da Califórnia a mais de 1.700 metros de profundidade. Seu nome é porque é laranja rosada e tem quatro sulcos longitudinais profundos que lembram os churros.

Latest news
Related news
- Advertisement -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here